ENSCER

Login
Entrar em Contato
Ver Meus Contatos

APAE - Jundiaí

Conhecendo o cérebro de nossas crianças.

A cerca de dois anos, iniciou-se na APAE-Jundiaí, um projeto para estudar a funcionalidade do cérebro das crianças que ali estudam. Esse projeto envolve a EINA – Estudos em Inteligência Natural e Artificial e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. A primeira se encarrega de registrar e analisar o eletroencefalograma (EEG) registrado enquanto a criança realiza os mesmos jogos educacionais que utiliza em sala de aula ou em atendimento individualizado. A segunda entidade se encarrega de realizar e analisar um estudo estrutural do cérebro das crianças através da técnica de Ressonância Magnética (RM). A combinação dessas duas técnicas de estudo da capacidade cerebral, tem permitido uma melhor compreensão da fisiopatologia da deficiência mental.

Cerca de 35% das cerca de 100 crianças já estudas, não apresenta nenhuma lesão estrutural do seu cérebro, pois apresenta uma RM normal. Entretanto, essas crianças podem exibir uma disfunção da atividade elétrica cerebral em alguns jogos, como por exemplo, o de rotação mental ou de compreensão verbal. As 65% de crianças restantes mostram sinais de alteração da estrutura cerebral, ocasionada, na maioria das vezes, por problemas ocorridos durante o período de gestação. A Leucomalácia, a Assimetria Ventricular, os cistos aracnoides, etc. estão entre as anomalias mais freqüentemente encontradas. O EEG dessas crianças pode mostrar sinais de alteração de atividade elétrica compatível com essas lesões, ou que evidencia uma restruturação da funcionalidade cerebral para compensar tais distúrbios. É o fenômeno da plasticidade cerebral, que permite, quando a criança é adequadamente estimulada, reduzir os déficits causados pelo trauma cerebral.

Links Relacionados

1. Divulgações do Trabalho

2. Ressonância Magnética

3. Relatório do Mapeamento Cerebral

:: ENSCER - Ensinando o Cérebro :: 2019 ::