ENSCER

Login
Entrar em Contato
Ver Meus Contatos

Artigos da EINA - Deficiências

Distúrbios de Desenvolvimento Embriológico

Esquizencefalia

É uma desordem do desenvolvimento do córtex, caracterizada por fendas congênitas em um dos hemisférios cerebrais. Pode ser de origem genética ou causada por algum fator intercorrente da gravidez, como episódio(s) de isquemia cerebral fetal ocasionado por problemas circulatórios da mãe. A lesão de neurônios fetais ocorre entre o terceiro e quarto mês de gravidez, e afeta um conjunto de células precursoras do desenvolvimento de uma região cortical. Essa falha acarreta a fenda. A localização da fenda depende do grupo de neurônios afetados.

A morte pode envolver também neurônios precursores de outras estruturas. Por isso, ela pode estar associada a outras mal formações, tais como displasias, heterotopias, Disgenesia do Corpo Caloso, etc.

Por esses motivos, o déficit mental pode ser bastante variável, aumentando com o número de estruturas ausentes. Além disso, déficits específicos decorrem da área cortical ausente. Assim por exemplo, distúrbios de linguagem aparecerão se o córtex frontal (como no caso mostrado na figura) ou parietal esquerdo for comprometido.

Entretanto, por se tratar de uma lesão congênita, muitas vêzes a plasticidade neural permite a realocação da função perdida em outra área cerebral. É o caso aqui ilustrado, no qual a criança começou a falar aos 5 anos e a se alfabetizar aos 11 anos.

Links Relacionados

1. Plasticidade

:: ENSCER - Ensinando o Cérebro :: 2019 ::